Quais são os 7 principais KPIs de vendas? Confira aqui

4 minutos para ler

Os indicadores-chave de performance ou KPIs são ótimos caminhos para acompanhar os resultados de vários setores de uma empresa. Em especial, os KPIs de vendas são indispensáveis para a elaboração de estratégias que consigam atrair e reter o máximo de clientes.

Assim, cada vendedor consegue cumprir o seu papel e direcionar sua equipe como um todo para atingir objetivos comuns. Quando não há essa integração, quando cada vendedor traça suas metas sem pensar no conjunto, as principais demandas da empresa podem não ser atendidas e os resultados do setor não são tão favoráveis quanto poderiam ser.

Sabendo disso, decidimos apresentar os principais KPIs de vendas. Confira e tire suas dúvidas!

1. CAC

A sigla CAC se refere ao custo de aquisição de clientes de uma empresa. Em outras palavras, o objetivo desse indicador é ajudar os profissionais a entender quanto a empresa desembolsa em estratégias para conquistar um cliente.

A fórmula do CAC é simples: basta dividir o valor do investimento total para a aquisição de clientes pelo número de clientes conquistados no mesmo período.

2. Ticket médio

O ticket médio é o valor médio das transações já feitas dentro de um período de tempo. O grande objetivo desse indicador é permitir que a empresa consiga acompanhar o valor gasto pelos clientes e consiga investir em estratégias para aumentá-lo.

O cálculo é fácil: basta pegar o montante de vendas e dividi-lo pelo número de clientes que geraram esse montante. Estratégias muito comuns para aumentar o ticket médio são promoções, frete grátis e kits de produtos.

3. Taxa de conversão

A taxa de conversão é um dos KPIs de vendas mais populares. Trata-se de quantas oportunidades abertas foram convertidas em vendas efetivas. Esse indicador mostra se o setor de vendas está criando boas oportunidades ou não. De modo geral, com a taxa de conversão, fica mais fácil identificar quais são os principais problemas no funil de vendas.

4. Churn rate

Churn rate é a taxa de evasão de clientes. Para uma empresa de assinaturas, por exemplo, esse indicador aponta o total de clientes que cancelaram o uso do serviço em determinado período. Por isso, quanto maior for o churn rate, mais a empresa precisa se preocupar com o investimento em estratégias de retenção de clientes.

5. Taxa de follow up

O follow up é uma das atividades mais comuns no setor de vendas. Trata-se da prática de fazer novos contatos para conseguir achar o momento ideal para efetivar uma venda, seja via e-mail, telefonema, visita etc. O indicador visa acompanhar o desempenho dessas atividades, verificando a taxa de respostas e as reações do cliente.

6. Ciclo de venda

O ciclo de venda é o tempo que se leva para efetivar uma venda, desde o primeiro contato até a finalização da compra. Com base nesse indicador, é possível saber se a jornada do ciclo de vendas é muito longa ou se precisa de alguns reparos para que a empresa consiga oferecer a melhor experiência ao cliente e convencê-lo.

7. LTV

LTV é a sigla para lifetime value, que significa o valor que o cliente entrega à empresa. Em outras palavras, é o faturamento médio que a empresa tem durante o tempo em que o cliente ficou na sua carteira. Por exemplo, se uma empresa de assinatura mensal cobra R$ 150, e o cliente assina o serviço durante 13 meses, o LTV da empresa é de R$ 1.950.

É preciso usar os KPIs de vendas com moderação, de acordo com as principais demandas e previsões de futuro da empresa. Quando há um exagero na quantidade de dados, o setor pode acompanhar indicadores desnecessários e prejudicar a elaboração de novas estratégias.

Já conhecia os KPIs? No seu caso, quais foram os mais efetivos até agora? Deixe o seu comentário e conte-nos sua experiência!

Ebook Inteligência de MercadoPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-