Metodologias para tomada de decisão: veja as 4 principais aqui!

5 minutos para ler

Tomar decisões nem sempre é fácil, principalmente quando elas envolvem novos rumos que impactarão os resultados de uma empresa e a performance dos colaboradores. A solução quase sempre passa por buscar maneiras de traçar um panorama da atual situação e escolher as melhores saídas. Para isso, existem as ferramentas de apoio à tomada de decisões.

Uma tomada de decisão é fruto de um problema para o qual há várias alternativas de resolução, mas que nem sempre são evidentes para os responsáveis. As ferramentas voltadas para essas situações ajudam a evidenciar as alternativas de resolução a partir de números, estatísticas e previsões, de modo que a solução escolhida tenha o máximo de aproveitamento.

Neste post, você vai conhecer quais são as 5 principais ferramentas para tomada de decisão. Continue a leitura e tire suas dúvidas!

1. Pesquisa automatizada

A elaboração de pesquisas ajuda a conhecer a opinião de clientes sobre produtos, a entender as mídias utilizadas no mercado que mais causam impacto no público e até mesmo a medir o desempenho dos colaboradores. Com as ferramentas de pesquisa automatizada, fica mais fácil conseguir dados confiáveis que vão orientar suas decisões.

Um software de pesquisa automatizada permite a elaboração de questionários personalizados, além de acompanhar os resultados em tempo real, emitir relatório de maneira automática e analisar os números com base em vários modos de leitura.

2. Matriz de decisão

A matriz de decisão é uma ótima metodologia que ajuda a escolher uma entre várias soluções para um problema. Seu funcionamento é simples. Primeiro, crie uma tabela com cinco colunas. A primeira coluna é a coluna dos projetos/ideias. As outras colunas devem apresentar os seguintes critérios: impacto, visão, lucro e esforço.

Na linha de cada ideia, determine uma pontuação de 1 a 5 para cada um dos critérios criados. No final, faça a soma dos critérios para cada ideia e depois subtraia cada resultado pela pontuação do critério esforço. A ideia ou solução com maior pontuação terá prioridade.

A matriz de decisão pode ajudar uma empresa a escolher uma solução de Data Lake, tendo em vista que há várias empresas oferecem esse serviço, como o Data Lake on AWS.

3. Análise de Pareto

A análise de Pareto é uma das metodologias para tomada de decisão mais usadas quando o objetivo é identificar problemas que prejudicam o desempenho das empresas. Trata-se de um gráfico em coluna que ordena a frequência dos acontecimentos.

O passo inicial para realizar a análise de Pareto é fazer uma lista com os principais problemas da empresa e suas motivações. Em seguida, é preciso organizar os problemas em ordem decrescente, da ocorrência mais frequente a menos frequente.

O próximo passo é fazer a porcentagem dos problemas. Em seguida, deve-se dividir o total de causas de cada um dos problemas pelo total das causas colocadas em lista. O resultado deve ser multiplicado por 100. No final, basta criar um gráfico com as causas do problema no eixo horizontal “x” e a frequência no eixo vertical “y”.

A análise de Pareto pode ser bastante útil para você avaliar os erros mais frequentes na empresa que envolvem a análise preditiva.

4. Método FCA

O Método FCA (Fato, Causa e Ação) é uma ferramenta simples. Ela é usada para diagnosticar as causas de um problema e elaborar uma solução possível. A primeira etapa, então, é selecionar no máximo 3 fatos (problemas que estejam afetando as operações da empresa). Em seguida, é necessário apontar as causas para os fatos identificados.

Por fim, chega o momento de fazer um plano de ação, isso depois de identificar os principais problemas e suas respectivas causas. O responsável pela análise deve selecionar possibilidades para amenizar ou solucionar as causas de cada fato.

As ferramentas de integração de sistemas, por exemplo, representam a solução para uma série de problemas que afetam os processos administrativos de uma empresa. Por meio do método FCA, você pode descobrir que a integração de sistemas soluciona a falta de padronização de rotinas e o longo tempo de resposta aos stakeholders.

A aplicação de ferramentas para tomada de decisão impacta drasticamente a percepção do gestor antes de dar o próximo passo. Por exemplo, é possível saber quanto a empresa vai gastar com um projeto sem arriscar o orçamento em gastos excessivos. Além disso, fica mais fácil definir indicadores de desempenho e economizar tempo de tomada de decisão.

O que achou dessas sugestões? Para se manter em dia com mais dicas e novidades sobre gestão e temas do universo Business Intelligence (BI), assine a nossa newsletter e receba nossos materiais exclusivos por e-mail!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-